Graças aos progressos técnicos na agricultura e nos transportes, nos séculos XII e XIII verifica-se na Europa a reanimação das trocas comerciais. Estas efectuam-se nos mercados e feiras que surgem um pouco por todo o lado, em regra junto aos maiores aglomerados populacionais. O comércio leva ao aumento do número de artífices, que fabricam tecidos e muitos outros bens procurados por uma população também cada vez mais numerosa.